lições de vida
16 de novembro de 2007
O amor. É algo já ultra batido, que sabemos de cor e salteado, de trás para a frente e de uma ponta à outra, mas caímos sempre no mesmo erro. Caímos e voltamos a cair, vezes sem conta. Recebemos avisos vindos de todos os lados, pelos meios mais diversos, mas não aprendemos. E caímos mais uma vez. Se há algo que aprendi nos últimos dias, é que não vale a pena viver em guerra. Ou melhor, não se trata de guerra ou de paz. Trata-se de valorização. Aprendi, pelo pior preço possível, que todos os momentos de felicidade e de valorização são poucos quando comparados com a apatia, o desprezo, a indiferença ou simplesmente a 'normalidade'. Aprendi que, mesmo tendo a certeza da vida eterna, 'esta' vida é demasiado curta para desperdiçarmos os momentos e oportunidades preciosos que nos são dados. E o que aprendi mesmo é: amar sem complexos, sem distracções e sem interferências. Amar mesmo. E acima de tudo dizê-lo e demonstrá-lo. Soa a cliché mas um dia poderá ser tarde demais. A minha mãe sabia (e sabe) que eu a amo, mas parece-me sempre pouco.

Etiquetas:

2
what people said?
2 comment(s)
Blogger Miriam Macaia 16/11/07 02:41
...costumo pensar muito sobre isto e concordo contigo.

 

Blogger Kid Sundance 16/11/07 11:00
Concordo ctg dread. O problema é esquecermo-nos disso tantas vezes no dia a dia.

 

post a comment!